Canto da Sereia, O - crítica à ideologia e aos projetos do "Terceiro Setor"
Passe o mouse na imagem para ver detalhes + Ampliar

Canto da Sereia, O - crítica à ideologia e aos projetos do "Terceiro Setor"

Carlos Montaño
  • Cód: 9788524922855

por R$ 62,00  

Disponível em Estoque. Entrega em 2 dias úteis para a cidade de São Paulo (para pedidos efetuados até as 11h; após este horário, entrega em 3 dias úteis).

Outras localidades: Grande São Paulo e Interior de SP: de 2 a 4 dias úteis. Outras Capitais: de 2 a 4 dias úteis. Interior de Outros Estados: de 5 a 15 dias úteis. Os pedidos serão atendidos conforme a disponibilidade de estoque.

  • Cortez Editora
  • Organizador: Carlos Montaño
  • ISBN: 9788524922855
  • Número de páginas: 432
  • Formato: 16.00 x 23.00
  • Peso: 620 gramas

SINOPSE A intenção da obra é decifrar a própria natureza do tecido de que se reveste o chamado Terceiro Setor (TS). Afinal, os autores sabem muito bem que o "canto da sereia", entoado por esse setor, não se dissipa com um simples "tapar de ouvidos": é preciso empunhar as "armas da crítica" e mergulhar nas profundezas das suas águas, para revelar o segredo que encanta tanto a gregos como a troianos, isto é: a esquerda e a direita.

Carlos Montaño

Carlos Eduardo Montaño Barreto, é assistente social graduado pela Escuela Superior de Servicio Social (hoje Departamento de Trabajo Social de la Facultad de Ciencias Sociales da Universidad de la República) do Uruguai, onde iniciou sua carreira docente. Mestre e Doutor pela Escola de Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, unidade acadêmica da qual é atualmente professor, tem livros e ensaios lançados no Brasil e na América Latina, e é coordenador da Biblioteca Latinoamericana de Servicio Social (en español), série produzida pela Cortez Editora para o público latino-americano.
A intenção da obra é decifrar a própria natureza do tecido de que se reveste o chamado Terceiro Setor (TS). Afinal, os autores sabem muito bem que o "canto da sereia", entoado por esse setor, não se dissipa com um simples "tapar de ouvidos": é preciso empunhar as "armas da crítica" e mergulhar nas profundezas das suas águas, para revelar o segredo que encanta tanto a gregos como a troianos, isto é: a esquerda e a direita.