Conversa com professores - do fundamental à pós-graduação
Passe o mouse na imagem para ver detalhes + Ampliar

Conversa com professores - do fundamental à pós-graduação

Newton Cesar Balzan
  • Cód: 9788524923500

Confira algumas páginas

por R$ 56,00  

Disponível em Estoque. Entrega em 2 dias úteis para a cidade de São Paulo (para pedidos efetuados até as 11h; após este horário, entrega em 3 dias úteis).

Outras localidades: Grande São Paulo e Interior de SP: de 2 a 4 dias úteis. Outras Capitais: de 2 a 4 dias úteis. Interior de Outros Estados: de 5 a 15 dias úteis. Os pedidos serão atendidos conforme a disponibilidade de estoque.

  • Cortez Editora
  • Autor: Newton Cesar Balzan
  • ISBN: 9788524923500
  • Número de páginas: 352
  • Formato: 16.00 x 23.00
  • Peso: 520 gramas

SINOPSE Em tom coloquial, o autor aborda uma série de problemas que exigem respostas dos professores que atuam em diferentes níveis de escolaridade e nas mais diversas áreas do conhecimento, partindo de suas próprias experiências e recorrendo a narrativas de seus ex-alunos do Brasil e do exterior. Faz um convite para conversar com você, leitor(a), professor(a), sobre aquela antiga escola que frequentamos e que por vezes nos dá saudades. Um convite para deixarmos de ter medo das modernas tecnologias às quais nossos estudantes têm livre e permanente acesso. Dá um basta ao professor que ainda se restringe a transmitir conhecimentos aos seus alunos e convida-nos para irmos além da abordagem isolada das disciplinas, visando a transdisciplinaridade. Mostra os absurdos que ocorrem em níveis mais elevados do processo educacional, dando um alerta para pesquisadores, orientadores de teses e participantes de bancas examinadoras. Tem como referência fundamental a complexidade que caracteriza a vida em sociedade nesta segunda década do século XXI. Complexidade com a qual, nós, professores, do fundamento à pós-graduação, queiramos ou não, teremos de lidar.

Newton Cesar Balzan

Newton Cesar Balzan é professor aposentado da Unicamp. Nasceu em Jundiaí/SP. Licenciou-se em Geografia e História pela USP e em Pedagogia pela Universidade de Mogi das Cruzes. Doutor pela Unesp. Livre-docente e professor-adjunto pela Unicamp. Desenvolveu pesquisa pós-doutorado na Universidade de Boston, Estados Unidos. É bolsista-pesquisador sênior (CNPq). Enquanto cursou o ensino médio e depois a USP, trabalhou como ferroviário em Jundiaí. Para cursar a USP, viajava diariamente a São Paulo, voltando a Jundiaí na madrugada do dia seguinte. Tem longa experiência na rede pública, com destaque aos Ginásios Vocacionais. Sua docência universitária se deu nas seguintes instituições: USP, PUC-SP, Unesp, Unicamp, PUC-Campinas, Unimep, PUC-Chile, Unama. Orientou 120 dissertações de mestrado e teses de doutorado. Participou de 312 bancas de mestrado, doutorado e de concursos para ingresso e progressão na carreira acadêmica. Exerceu atividades de administração acadêmica: Coordenador (Pedagogia) PUC-SP (1971-1972); Coordenador Pedagógico – Instituto de Educação Experimental de Jundiaí (1969-1971); Coordenador (Licenciaturas) Unicamp (1977-1982); Assessor, Vice-Reitoria de Pós-Graduação Unicamp (1993-1995); Assessor, Pró-Reitoria de Graduação, PUC-Campinas (2008-2014); Membro do Conselho Estadual de Educação (1989-1992). Seus estudos atuais estão voltados à Educação Superior nas diferentes áreas de conhecimento.
Em tom coloquial, o autor aborda uma série de problemas que exigem respostas dos professores que atuam em diferentes níveis de escolaridade e nas mais diversas áreas do conhecimento, partindo de suas próprias experiências e recorrendo a narrativas de seus ex-alunos do Brasil e do exterior. Faz um convite para conversar com você, leitor(a), professor(a), sobre aquela antiga escola que frequentamos e que por vezes nos dá saudades. Um convite para deixarmos de ter medo das modernas tecnologias às quais nossos estudantes têm livre e permanente acesso. Dá um basta ao professor que ainda se restringe a transmitir conhecimentos aos seus alunos e convida-nos para irmos além da abordagem isolada das disciplinas, visando a transdisciplinaridade. Mostra os absurdos que ocorrem em níveis mais elevados do processo educacional, dando um alerta para pesquisadores, orientadores de teses e participantes de bancas examinadoras. Tem como referência fundamental a complexidade que caracteriza a vida em sociedade nesta segunda década do século XXI. Complexidade com a qual, nós, professores, do fundamento à pós-graduação, queiramos ou não, teremos de lidar.