Cursos de pedagogia: inovações na formação de professores polivalente
Passe o mouse na imagem para ver detalhes + Ampliar

Cursos de pedagogia: inovações na formação de professores polivalente

Cristina Cinto Araujo Pedroso, Isaneide Domingues, José Cerchi Fusari, Marineide de Oliveira Gomes, Selma Garrido Pimenta, Umberto de Andrade Pinto, Valéria Cordeiro Fernandes Belletati
  • Cód: 9788524927478

Confira algumas páginas

por R$ 52,00  

Disponível em Estoque. Entrega em 2 dias úteis para a cidade de São Paulo (para pedidos efetuados até as 11h; após este horário, entrega em 3 dias úteis).

Outras localidades: Grande São Paulo e Interior de SP: de 2 a 4 dias úteis. Outras Capitais: de 2 a 4 dias úteis. Interior de Outros Estados: de 5 a 15 dias úteis. Os pedidos serão atendidos conforme a disponibilidade de estoque.

  • Cortez Editora
  • Organizador: Isaneide Domingues, Umberto de Andrade Pinto, Marineide de Oliveira Gomes, Selma Garrido Pimenta, Cristina Cinto Araujo Pedroso, José Cerchi Fusari, Valéria Cordeiro Fernandes Belletati
  • ISBN: 9788524927478
  • Número de páginas: 200
  • Formato: 16.00 x 23.00
  • Peso: 300 gramas

SINOPSE A obra apresenta iniciativas inovadoras no campo da formação em nível superior de professores polivalentes (para a Educação Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental) nos cursos de licenciatura em Pedagogia e – a partir de resultados de pesquisa coletiva – os autores estimulam o leitor (pesquisadores, fomentadores de Políticas Públicas, coordenadores de curso, professores de ensino superior, formadores de professores de modo geral e estudantes) a refletir sobre a organização curricular e a estrutura desses cursos, os desafios presentes no cenário atual e em possibilidades concretas de transformações para a melhoria da formação dos profissionais que ensinam e aprendem nesses cursos.

Com base no conceito de inovação entendido como ruptura com a ordem existente e como transgressão com vistas à transformação, na mesma medida os autores transgridem com relação ao termo ‘polivalência’, distanciando-se do sentido economista – ao ser reafirmada a importância da unidade teoria e prática e dos estágios supervisionados como articuladores do currículo, a essencialidade do papel da Didática e dos Conteúdos e Metodologias Específicas, da pesquisa como princípio formativo, da integração e da interdisciplinaridade – como categorias importantes de análise de cursos de Pedagogia, sem, contudo, desconsiderar os limites impostos pela cultura e pelas políticas neoliberais – que pautam as Políticas Públicas no campo da formação de professores no Brasil – bem como pelas condições de produção do professor polivalente nesses cursos.

O livro aborda ainda a diferença qualitativa dos cursos de Pedagogia mantidos por Instituições de Ensino Superior (IES) em Universidades Públicas, em relação às IES privadas (sendo estas últimas responsáveis pela formação da maioria dos professores no País), denunciando as consequências da presença avassaladora e crescente de grupos financistas, responsáveis pelos conglomerados econômicos na área da Educação, que desafiam a autonomia dos cursos de ensino superior e que tratam a Educação como mera mercadoria.

Trata-se de leitura importante e necessária para educadores, em geral, ao se assumir a práxis educativa em cursos de formação de professores, na contramão das condições que contribuem para produzir a desumanização social e educacional atualmente em curso no País.

Cristina Cinto Araujo Pedroso

Possui Graduação em Pedagogia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo/ PUC-SP (1991), Mestrado em Educação Especial (Educação do Indivíduo Especial) pela Universidade Federal de São Carlos (2001) e Doutorado em Educação Escolar pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP - Campus de Araraquara/SP (2006). Atualmente é docente na Universidade de São Paulo (USP-RP), na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto, Departamento de Educação, Informação e Comunicação (DEDIC), em RDIDP. Tem experiência na área de Educação, com ênfase nos seguintes temas: formação de professores, didática, educação especial e educação inclusiva.

Isaneide Domingues

Isaneide Domingues, possui graduação em Letras pela Universidade Cidade de São Paulo (1988) , especialização em Língua Portuguesa pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1996) , mestrado em Educação pela Universidade de São Paulo (2004) , doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (2009) e aperfeicoamento em O coordenador Pedagógico: identidade em construção pela Universidade de São Paulo (1996) . Atualmente é Coordenadora Pedagógica da Secretaria Municipal de Educação e Contratado da Universidade Cidade de São Paulo. Tem experiência na área de Educação , com ênfase em Didática Teorias de Ensino e Práticas Escolares. Atuando principalmente nos seguintes temas: coordenador pedagógico, formação continua, formação docente na escola, horário coletivo, profissionalidade e Gestão da escola.

José Cerchi Fusari

Doutorado em Didática, Teorias de Ensino e Práticas Escolares – FEUSP-1997. Mestrado em Filosofia da Educação- PUCSP- 1987. Professor aposentado da Faculdade de Educação da USP. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Formação do Educador – GEPEFE/FEUSP.

Marineide de Oliveira Gomes

Marineide de Oliveira Gomes é pedagoga. Atuou em creches e pré-escolas, nos anos iniciais do ensino fundamental - na docência, direção e coordenação pedagógica - e em equipes de governos municipais - em áreas da Assistência Social e da Educação, na coordenação de programas para a infância. Atua como professora em cursos de nível superior de formação de professores. Mestre e doutora pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, desenvolve estudos e pesquisas nas áreas de educação infantil, formação de educadores e políticas para a infância. É docente da Unifesp - Campus Guarulhos, no curso de Pedagogia. Entre outras produções, compõe o grupo de coautores das coletâneas Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito (Cortez, 2002); Pesquisa em educação: alternativas investigativas com objetivos complexos (Loyola, 2006); Pesquisa em educação: possibilidades investigativas/formativas da pesquisa-ação (Loyola, 2008). Integra ainda o Gepefe - Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Formação de Educadores -, vinculado à FE/USP.

Selma Garrido Pimenta

Selma Garrido Pimenta, é Professora titular de Didática na Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP). Graduada em Pedagogia, com mestrado e doutorado na área de Educação (Filosofia), pela pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Foi Presidente eleita da Ande - Associação Nacional de Educação (1983/86) e presidente eleita da Comissão de Pós-graduação em Educação da Faculdade de Educação da USP (1999/2001). Foi também coordenadora do GT de Didática da Anped - Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Educação (1996/2000). Atualmente é diretora da Faculdade de Educação da USP (2002-2006), na qual também coordena o Gepefe. Consultora da Apeoesp - Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo junto ao Programa de Formação Contínua de Professores.

Umberto de Andrade Pinto

Pedagogo, mestre e doutor em educação, é professor da Universidade Federal de São Paulo, onde atua como docente e pesquisador no curso de Pedagogia, no Programa de Pós-Graduação em Educação e Saúde na Infância e na Adolescência, no Programa de Pós-Graduação em Educação e no Grupo de Estudos e Pesquisas Escola Pública, Infâncias e Formação de Professores (GEPEPINFOR). É também integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Formação de Educadores (GEPEFE) da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. É autor de “Pedagogia Escolar: coordenação pedagógica e gestão educacional” (Editora Cortez).

Valéria Cordeiro Fernandes Belletati

Licenciada em Matemática pela USP, Licenciada em Pedagogia pelo FFCL Nove de Julho, Mestrado e Doutorado pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. Atualmente exerce a função de docente na Faculdade de Ciências da Saúde de São Paulo. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Formação de Educadores – GEPEFE – FEUSP. Desenvolve pesquisas sobre Formação Inicial e Contínua de Professores da Educação Básica e da Educação Superior.
A obra apresenta iniciativas inovadoras no campo da formação em nível superior de professores polivalentes (para a Educação Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental) nos cursos de licenciatura em Pedagogia e – a partir de resultados de pesquisa coletiva – os autores estimulam o leitor (pesquisadores, fomentadores de Políticas Públicas, coordenadores de curso, professores de ensino superior, formadores de professores de modo geral e estudantes) a refletir sobre a organização curricular e a estrutura desses cursos, os desafios presentes no cenário atual e em possibilidades concretas de transformações para a melhoria da formação dos profissionais que ensinam e aprendem nesses cursos.

Com base no conceito de inovação entendido como ruptura com a ordem existente e como transgressão com vistas à transformação, na mesma medida os autores transgridem com relação ao termo ‘polivalência’, distanciando-se do sentido economista – ao ser reafirmada a importância da unidade teoria e prática e dos estágios supervisionados como articuladores do currículo, a essencialidade do papel da Didática e dos Conteúdos e Metodologias Específicas, da pesquisa como princípio formativo, da integração e da interdisciplinaridade – como categorias importantes de análise de cursos de Pedagogia, sem, contudo, desconsiderar os limites impostos pela cultura e pelas políticas neoliberais – que pautam as Políticas Públicas no campo da formação de professores no Brasil – bem como pelas condições de produção do professor polivalente nesses cursos.

O livro aborda ainda a diferença qualitativa dos cursos de Pedagogia mantidos por Instituições de Ensino Superior (IES) em Universidades Públicas, em relação às IES privadas (sendo estas últimas responsáveis pela formação da maioria dos professores no País), denunciando as consequências da presença avassaladora e crescente de grupos financistas, responsáveis pelos conglomerados econômicos na área da Educação, que desafiam a autonomia dos cursos de ensino superior e que tratam a Educação como mera mercadoria.

Trata-se de leitura importante e necessária para educadores, em geral, ao se assumir a práxis educativa em cursos de formação de professores, na contramão das condições que contribuem para produzir a desumanização social e educacional atualmente em curso no País.