Educação crítica & utopia - perspectivas para o século XXI
Passe o mouse na imagem para ver detalhes + Ampliar

Educação crítica & utopia - perspectivas para o século XXI

Antonio Teodoro, Carlos Alberto Torres
  • Cód: 9788524911781

por R$ 52,00  

Disponível em Estoque. Entrega em 2 dias úteis para a cidade de São Paulo (para pedidos efetuados até as 11h; após este horário, entrega em 3 dias úteis).

Outras localidades: Grande São Paulo e Interior de SP: de 2 a 4 dias úteis. Outras Capitais: de 2 a 4 dias úteis. Interior de Outros Estados: de 5 a 15 dias úteis. Os pedidos serão atendidos conforme a disponibilidade de estoque.

  • Cortez Editora
  • Autor: Carlos Alberto Torres, Antonio Teodoro
  • ISBN: 9788524911781
  • Número de páginas: 232
  • Formato: 16.00 x 23.00
  • Peso: 350 gramas

SINOPSE Este livro convida-nos a examinar cuidadosamente as ligações entre ficção e política em Educação, levando em consideração a importância da noção de utopia no contexto da teoria social e explorando novos desenvolvimentos na Sociologia da Educação. Como pesquisadores e educadores, estamos convictos de que o presente não pode ser a medida da felicidade, porque a felicidade é simplesmente a coleção de imagens que se dissipa com a distância e se distorce com a proximidade. Mais ainda, estamos convictos de que uma utopia é aquele horizonte no sentido do qual damos dois passos para ficar mais próximos, enquanto ele se move dois passos à frente. Damos, de novo, mais dois passos para nos aproximarmos, e ele volta a mover-se dois passos à frente. Que uso é então este de utopia, esse prodígio que não se alcança? A resposta, pensamos, é tão simples como isto: ajuda-nos a andar como perspicácia nesta amálgama de política e ficção, não somente nas narrativas mais também na prática.

Antonio Teodoro

António Teodoro é professor de Sociologia da Educação e Educação Comparada, diretor do Instituto de Educação da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, em Lisboa. Cofundador do Instituto Paulo Freire de Portugal e vice-presidente do Comitê de Investigação de Sociologia da Educação da Associação Internacional de Sociologia. Coordena a Rede Ibero-americana de Investigação em Políticas de Educação (RIAIPE). Foi um dos fundadores do movimento sindical docente português, tendo sido o primeiro secretário-geral da Federação Nacional dos Professores (Fenprof) (1983-1994). É autor de uma vasta bibliografia sobre políticas no Brasil pelas editoras Cortez e Liber Livro.
Este livro convida-nos a examinar cuidadosamente as ligações entre ficção e política em Educação, levando em consideração a importância da noção de utopia no contexto da teoria social e explorando novos desenvolvimentos na Sociologia da Educação. Como pesquisadores e educadores, estamos convictos de que o presente não pode ser a medida da felicidade, porque a felicidade é simplesmente a coleção de imagens que se dissipa com a distância e se distorce com a proximidade. Mais ainda, estamos convictos de que uma utopia é aquele horizonte no sentido do qual damos dois passos para ficar mais próximos, enquanto ele se move dois passos à frente. Damos, de novo, mais dois passos para nos aproximarmos, e ele volta a mover-se dois passos à frente. Que uso é então este de utopia, esse prodígio que não se alcança? A resposta, pensamos, é tão simples como isto: ajuda-nos a andar como perspicácia nesta amálgama de política e ficção, não somente nas narrativas mais também na prática.