Lápis Cor de Pele
Passe o mouse na imagem para ver detalhes + Ampliar

Lápis Cor de Pele

Daniela de Brito
  • Cód: 9788524925566

Mês das Crianças
de R$ 36,00por R$ 21,60 Economize R$ 14,40

Disponível em Estoque. Entrega em 2 dias úteis para a cidade de São Paulo (para pedidos efetuados até as 11h; após este horário, entrega em 3 dias úteis).

Outras localidades: Grande São Paulo e Interior de SP: de 2 a 4 dias úteis. Outras Capitais: de 2 a 4 dias úteis. Interior de Outros Estados: de 5 a 15 dias úteis. Os pedidos serão atendidos conforme a disponibilidade de estoque.

  • Cortez Editora
  • Autor: Daniela de Brito
  • ISBN: 9788524925566
  • Número de páginas: 32
  • Formato: 14.00 x 21.00
  • Peso: 190 gramas

SINOPSE Ana, em seu primeiro dia de aula, ficou surpresa quando viu que os colegas tinham um "lápis cor de pele". Então, pensou: "Será que gente só tem uma cor?" A partir daquele dia, começou a prestaratenção nas pessoas e descobriu coisas que nunca havia percebdio antes.
Notou que os olhos, cabelos e bocas de seus amigos eram bem diferentes uns dos outros.
E começou a pensar que o mais legal era justamente isso.
Qeu sem graça seria o mundo se todos fossem iguais!

Daniela de Brito

Daniela de Brito, escritora goianiense, tem formação em Artes Plásticas. Talvez por isso tons e cores sejam tema de "Lápis cor de pele". leitora voraz, já publicou oito livros, os quais fazem parte da coleção Menino João - nome, aliás, presente no de seus dois filhos: João Vitor e João Gabriel. Também pós-graduada em dançaterapia, é professora de Arte e Dança há mais de 25 anos. Ocupa a cadeira número 39 na Academa Aparecidense de Letras.
Ministra workshops para crianças, educadores e pais, contando suas histórias e estimulando a leitura como fonte de conhecimento, autoconhecimento e possibilidade de expressão.
Conheça mais sobre a auora na sua página na internet: www.danieladebrito.com.br

Títulos Relacionados

Ana, em seu primeiro dia de aula, ficou surpresa quando viu que os colegas tinham um "lápis cor de pele". Então, pensou: "Será que gente só tem uma cor?" A partir daquele dia, começou a prestaratenção nas pessoas e descobriu coisas que nunca havia percebdio antes.
Notou que os olhos, cabelos e bocas de seus amigos eram bem diferentes uns dos outros.
E começou a pensar que o mais legal era justamente isso.
Qeu sem graça seria o mundo se todos fossem iguais!

Quem viu, viu também