O gato, o rato e o pacto de paz
Passe o mouse na imagem para ver detalhes + Ampliar

O gato, o rato e o pacto de paz

Luis Pimentel
  • Cód: 9788524927546

Confira algumas páginas

por R$ 39,00  

Disponível em Estoque. Entrega em 2 dias úteis para a cidade de São Paulo (para pedidos efetuados até as 11h; após este horário, entrega em 3 dias úteis).

Outras localidades: Grande São Paulo e Interior de SP: de 2 a 4 dias úteis. Outras Capitais: de 2 a 4 dias úteis. Interior de Outros Estados: de 5 a 15 dias úteis. Os pedidos serão atendidos conforme a disponibilidade de estoque.

  • Cortez Editora
  • Autor: Luis Pimentel
  • ISBN: 9788524927546
  • Número de páginas: 32
  • Formato: 20.50 x 28.00
  • Peso: 200 gramas

SINOPSE Gatos e ratos podem interromper a guerra secular que sempre marcou a convivência entre eles? Pode. Por que não?
Nunca é tarde para se rever uma ideia fixa, repensar um pensamento, duvidar de uma certeza. Gato e rato precisam viver eternamente em guerra? Por quê? Onde está escrito que deve ser sempre assim? A paz entre eles não é possível? Claro que sim! É só tentarem.
Isso é o que mostra este texto instigante, em que poesia e imaginação se juntam para construir um pacto de vida e de beleza.
Escrita em versos, esta prosa poética tem como objetivo (se é que a arte precisa ter algum objetivo) promover um fictício, porém sempre sonhado, pacto de paz entre intenções e vocações distintas e adversárias.
Afinal, com palavras, imagens, fantasia e poesia se consegue tudo.

Luis Pimentel

É jornalista e escritor. Trabalhou em diversas redações de jornais e revistas do Rio de Janeiro (Última Hora, Jornal do Brasil, O Dia, Extra, Bundas, Opasquim21, entre outros) e foi autor-roteirista de programas de televisão. Tem diversos livros publicados, entre contos, poesia, ficção infanto-juvenil, textos de humor e sobre personagens ou aspectos da música brasileira. Entre eles destacam-se Um cometa cravado em tua coxa, contos (Record), O calcanhar da Memória, poesia (Bertrand), Com esses eu vou, crônicas e perfis da MPB (ZIT), Grande homem mais ou menos, contos (Bertrand), Entre sem bater, o humor na imprensa brasileira (Ediouro), Pau Brasil (Moderna), Plantio e colheita, poesia (Prumo), Dois dedos de poesia (Global), O matador de aluguel e outras figuras, crônicas (Melhoramentos) e Neguinho aí, infantil (Pallas). Por sua obra literária já recebeu inúmeros prêmios nacionais, entre eles o Prêmio Jorge de Lima de Poesia, da União Brasileira de Escritores; Prêmio Cruz de Souza, da Fundação Catarinense de Cultura; Prêmio Literatura Para Todos (2007 e 2010), do Ministério da Educação e Cultura; e o Prêmio Nacional de Dramaturgia Cidade de Belo Horizonte, com uma peça teatral inspirada na vida e na obra do compositor Assis Valente.
Gatos e ratos podem interromper a guerra secular que sempre marcou a convivência entre eles? Pode. Por que não?
Nunca é tarde para se rever uma ideia fixa, repensar um pensamento, duvidar de uma certeza. Gato e rato precisam viver eternamente em guerra? Por quê? Onde está escrito que deve ser sempre assim? A paz entre eles não é possível? Claro que sim! É só tentarem.
Isso é o que mostra este texto instigante, em que poesia e imaginação se juntam para construir um pacto de vida e de beleza.
Escrita em versos, esta prosa poética tem como objetivo (se é que a arte precisa ter algum objetivo) promover um fictício, porém sempre sonhado, pacto de paz entre intenções e vocações distintas e adversárias.
Afinal, com palavras, imagens, fantasia e poesia se consegue tudo.