Pano de boca, O
Passe o mouse na imagem para ver detalhes + Ampliar

Pano de boca, O

Sandra Pina
  • Cód: 9788524914720

Disponível em Estoque. Entrega em 2 dias úteis para a cidade de São Paulo (para pedidos efetuados até as 11h; após este horário, entrega em 3 dias úteis).

Outras localidades: Grande São Paulo e Interior de SP: de 2 a 4 dias úteis. Outras Capitais: de 2 a 4 dias úteis. Interior de Outros Estados: de 5 a 15 dias úteis. Os pedidos serão atendidos conforme a disponibilidade de estoque.

  • Cortez Editora
  • Autor: Sandra Pina
  • Ilustrador: Thais Linhares
  • ISBN: 9788524914720
  • Número de páginas: 32
  • Formato: 21.00 x 28.00
  • Peso: 180 gramas

SINOPSE Laura, mãe de Júnior, é restauradora e chamada para recuperar o pano de boca do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. O pano de boca é uma espécie de cortina que fica na frente da cortina de verdade. Pintado por Eliseu D’Angelo Visconti em 1908, foi instalado em 1909, quando o teatro foi inaugurado. Aproveitando a oportunidade, Laura leva o filho para o trabalho. Em meio à revelação da história do Theatro Municipal, Júnior se envolve em sinistros acontecimentos.

Sandra Pina

Sandra Pina, é carioca, jornalista e escritora. Estudou jornalismo e publicidade na PUC do Rio de Janeiro, cidade onde mora e também é especialista em Literatura Infantil e Juvenil pela UFF. Trabalhou com assessoria de imprensa, marketing e assessoria artística na indústria fonográfica por muitos anos. Hoje faz traduções de inglês e espanhol, escreve press releases, resenhas e roteiros, faz leituras e críticas, além de ministrar oficinas e mini cursos ligadas à palava e á Literatura Infanril. Seu primeiro livro foi lançado em 2001, mesmo ano em que se associou à AEI-LIJ (Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil), da qual é atualmente Vice-presidente.
Laura, mãe de Júnior, é restauradora e chamada para recuperar o pano de boca do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. O pano de boca é uma espécie de cortina que fica na frente da cortina de verdade. Pintado por Eliseu D’Angelo Visconti em 1908, foi instalado em 1909, quando o teatro foi inaugurado. Aproveitando a oportunidade, Laura leva o filho para o trabalho. Em meio à revelação da história do Theatro Municipal, Júnior se envolve em sinistros acontecimentos.