Práticas de oralidade na sala de aula
Passe o mouse na imagem para ver detalhes + Ampliar

Práticas de oralidade na sala de aula

Cleo Busato
  • Cód: 9788524915697

por R$ 36,00  

Disponível em Estoque. Entrega em 2 dias úteis para a cidade de São Paulo (para pedidos efetuados até as 11h; após este horário, entrega em 3 dias úteis).

Outras localidades: Grande São Paulo e Interior de SP: de 2 a 4 dias úteis. Outras Capitais: de 2 a 4 dias úteis. Interior de Outros Estados: de 5 a 15 dias úteis. Os pedidos serão atendidos conforme a disponibilidade de estoque.

  • Cortez Editora
  • Coleção: Coleção Oficinas - Aprender Fazendo
  • Autor: Cleo Busato
  • ISBN: 9788524915697
  • Número de páginas: 80
  • Formato: 16.00 x 23.00
  • Peso: 130 gramas

SINOPSE Dizer que a narração oral de histórias é uma chave, que abre a porta para o processo de alfabetização, significa mais que o simples uso de uma metáfora para ilustrar essa aquisição conquistada pela criança. Implica colocar a oralidade no seu devido lugar, ou seja, ocupar um espaço privilegiado na formação do ser humano. Sabemos que os anos iniciais são dirigidos ao letramento e à alfabetização e que o desenvolvimento da linguagem oral é etapa fundamental na aprendizagem. Por isso, é importante que se dê um espaço significativo à contação de histórias, às leituras em voz alta e às rodas de conversa, nas quais a criança exercita a criação do texto oral, ao criar e recriar histórias ouvidas e vividas.

Dizer que a narração oral de histórias é uma chave, que abre a porta para o processo de alfabetização, significa mais que o simples uso de uma metáfora para ilustrar essa aquisição conquistada pela criança. Implica colocar a oralidade no seu devido lugar, ou seja, ocupar um espaço privilegiado na formação do ser humano. Sabemos que os anos iniciais são dirigidos ao letramento e à alfabetização e que o desenvolvimento da linguagem oral é etapa fundamental na aprendizagem. Por isso, é importante que se dê um espaço significativo à contação de histórias, às leituras em voz alta e às rodas de conversa, nas quais a criança exercita a criação do texto oral, ao criar e recriar histórias ouvidas e vividas.