Saúde mental, desenvolvimento e subjetividade: da patologização à ética do sujeito
Passe o mouse na imagem para ver detalhes + Ampliar

Saúde mental, desenvolvimento e subjetividade: da patologização à ética do sujeito

Daniel Magalhães Goulart
  • Cód: 9788524927270

Confira algumas páginas

por R$ 48,00  

Disponível em Estoque. Entrega em 2 dias úteis para a cidade de São Paulo (para pedidos efetuados até as 11h; após este horário, entrega em 3 dias úteis).

Outras localidades: Grande São Paulo e Interior de SP: de 2 a 4 dias úteis. Outras Capitais: de 2 a 4 dias úteis. Interior de Outros Estados: de 5 a 15 dias úteis. Os pedidos serão atendidos conforme a disponibilidade de estoque.

  • Cortez Editora
  • Autor: Daniel Magalhães Goulart
  • ISBN: 9788524927270
  • Número de páginas: 152
  • Formato: 16.00 x 23.00
  • Peso: 230 gramas

SINOPSE Com o livro Saúde Mental, Desenvolvimento e Subjetividade: da patologização à ética do sujeito, Daniel Goulart nos oferece um passo à frente na leitura crítica sobre a atenção à saúde mental.
Articula este campo à educação e ao desenvolvimento subjetivo e os sustenta em uma ética do sujeito. Critica o que chama de nova institucionalização; rejeita os dogmatismos e combate a patologização que tem marcado nossas práticas e pesquisas no campo da saúde mental. Sua busca é da construção de alternativas teóricas à fragmentação dos processos humanos e para isto nos oferece a subjetividade como ferramenta teórica crítica para o campo, articulando pesquisa e prática profissional. Uma contribuição significativa ao avanço da luta antimanicomial!

Com o livro Saúde Mental, Desenvolvimento e Subjetividade: da patologização à ética do sujeito, Daniel Goulart nos oferece um passo à frente na leitura crítica sobre a atenção à saúde mental.
Articula este campo à educação e ao desenvolvimento subjetivo e os sustenta em uma ética do sujeito. Critica o que chama de nova institucionalização; rejeita os dogmatismos e combate a patologização que tem marcado nossas práticas e pesquisas no campo da saúde mental. Sua busca é da construção de alternativas teóricas à fragmentação dos processos humanos e para isto nos oferece a subjetividade como ferramenta teórica crítica para o campo, articulando pesquisa e prática profissional. Uma contribuição significativa ao avanço da luta antimanicomial!