Serviço Social e reforma sanitária - lutas sociais e práticas profissionais
Passe o mouse na imagem para ver detalhes + Ampliar

Serviço Social e reforma sanitária - lutas sociais e práticas profissionais

Maria Inês Souza Bravo
  • Cód: 9788524918506

por R$ 54,00  

Disponível em Estoque. Entrega em 2 dias úteis para a cidade de São Paulo (para pedidos efetuados até as 11h; após este horário, entrega em 3 dias úteis).

Outras localidades: Grande São Paulo e Interior de SP: de 2 a 4 dias úteis. Outras Capitais: de 2 a 4 dias úteis. Interior de Outros Estados: de 5 a 15 dias úteis. Os pedidos serão atendidos conforme a disponibilidade de estoque.

  • Cortez Editora
  • Autor: Maria Inês Souza Bravo
  • ISBN: 9788524918506
  • Número de páginas: 352
  • Formato: 14.00 x 21.00
  • Peso: 410 gramas

SINOPSE O livro enfoca, de forma direta e exaustiva. como a questão da saúde se inseriu no período histórico que vai do golpe de 1964 à conclusão do que se convencionou chamar de "transição democrática", detendo-se em particular na atuação - e lacunas - do serviço social dentro das lutas sociais pela democratização dos serviços públicos de saúde. Recaem nas mãos dos assistentes sociais responsabilidades muito maiores do que aquelas que já desempenhavam quando o déficit social era assumido como tarefa do regime democrático restabelecido. Agora se trata de, com uma das mãos, cumprir as funções profissionais nos pontos em que a sociedade dessangra quando a injustiça foi instaurada como política de Estado e, com a outra, lutar pelo descaramento do conselho neoliberal e pela criação de uma nova hegemonia - popular, democrática, com alma social. Para isso, o livro fornece munição essencial. Como dizia Brecht: "E agora que vocês viram no que a coisa deu, jamais esqueçam como foi que tudo começou". Emir Sader

Maria Inês Souza Bravo

Maria Inês Souza Bravo, é Assistente Social, Doutora em Serviço Social - PUC-SP, professora aposentada da UFRJ, professora adjunta da Faculdade de Serviço Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), procientista da UERJ e coordenadora do Projeto "Políticas Públicas de Saúde: O potencial dos Conselhos da Região Metropolitana do Rio de Janeiro", financiado pelo CNPq, Faperj e UERj.
O livro enfoca, de forma direta e exaustiva. como a questão da saúde se inseriu no período histórico que vai do golpe de 1964 à conclusão do que se convencionou chamar de "transição democrática", detendo-se em particular na atuação - e lacunas - do serviço social dentro das lutas sociais pela democratização dos serviços públicos de saúde. Recaem nas mãos dos assistentes sociais responsabilidades muito maiores do que aquelas que já desempenhavam quando o déficit social era assumido como tarefa do regime democrático restabelecido. Agora se trata de, com uma das mãos, cumprir as funções profissionais nos pontos em que a sociedade dessangra quando a injustiça foi instaurada como política de Estado e, com a outra, lutar pelo descaramento do conselho neoliberal e pela criação de uma nova hegemonia - popular, democrática, com alma social. Para isso, o livro fornece munição essencial. Como dizia Brecht: "E agora que vocês viram no que a coisa deu, jamais esqueçam como foi que tudo começou". Emir Sader